≡  

Posts sobre: Resenha

Júlia B. Tourinho – Eu, cupido.

- Escrever a série "Eu, cupido", se assim me permite chamar, mudou o que em sua vida?

Mudou muita coisa. Quando eu estava escrevendo, eu não fazia ideia de que teria essa repercussão toda, mas graças a essa repercussão eu me senti motivada a continuar escrevendo e postando no wattpad. Hoje em dia não imagino minha vida sem escrever.

- O que fez você escrever "Eu, cupido"?

É difícil dizer exatamente, porque comecei a escrever com 17 anos, daí fiz uma pausa de 5 anos e retomei. O que me fez retomar foi eu ter tido uma ideia para um livro muito parecido com Eu, Cupido. Quando comecei a escrever esse livro, eu pensei "Pera aí! Eu acho que já escrevi algo assim..." Procurei nos meus arquivos e encontrei Eu, Cupido. Achei legalzinho e resolvi terminar de escrever.

- Como você teve a ideia de criar o Paco? (Pergunta de fã: Clara Oliveira).

O Paco é uma criatura muito particular. De novo, não sei exatamente de onde veio a ideia, afinal faz muuuuito tempo que comecei a escrever, mas eu queria que ele fosse fofo e inocente, mas esperto também. Me inspirei em alguns personagens que eu amo de paixão, por exemplo o Peeta de Jogos Vorazes. Mas só a inspiração mesmo, porque, se você for reparar, os dois não são tão parecidos assim.

- Já chegou aquele momento na sua vida em que você precisou escolher: ou fazer tal coisa, ou escrever?

Na verdade, sempre acontece isso. Minha criatividade sempre atiça quando eu preciso fazer alguma outra coisa importante, tipo terminar um trabalho ou estudar para uma prova. Daí eu tenho que escolher, e quase sempre escolhe escrever. Mas, felizmente, nenhuma dessas escolhas estragou minha vida (por enquanto).

- O que você acha do projeto Semana Wattpad?

Acho um projeto super legal! Acho importante que existam projetos assim na comunidade do wattpad. A iniciativa é ótima, e eu estou torcendo para ser um sucesso!

- O que é ser um escritor para você?

Ser escritor é poder viver várias vidas. Como eu não posso ser tudo no mundo, adoro a sensação de fazer meus personagens serem. É quase como se eu estivesse sendo também, por tabela.

- Como foi para você, receber todo esse carinho e retorno no Wattpad?

Foi (e é) muito mágico. Até hoje não consigo acreditar algumas vezes. Meus leitores são as pessoas mais fofas do universo.

 

Compartilhe

Hyana  – Metamorfose.

- Escrever Metamorfose mudou o que em sua vida?

Tudo. Eu sempre fui fissurada em livros e minha família conta que sempre tive a cara enfiada em alguma história. Conheci o Wattpad em maio do ano passado por acaso e percebi que escrever era meu meio de desabafar. Nunca pensei que alguém fosse ler , e nem queria – me considerava muito crua ortograficamente falando. Hoje já estou no meu quarto livro – e percebo que minha escrita hoje é mais profissional devido a prática - tenho pessoas do Brasil todo me acompanhando , mandando energias positivas e seguindo as minhas loucuras no snap.

- Já chegou aquele momento na sua vida em que você precisou escolher: ou fazer tal coisa, ou escrever?

Vivo isso todos os dias (dei uma risada alta com essa pergunta) , todo santo dia eu paro e penso “Como vou me virar pra dar conta de tudo meu Deeeeeeus?”. Juro que é desesperador , a sorte é que com o tempo você cria um jogo de cintura legal.

- O que você acha do projeto Semana Wattpad?

Acho uma ideia sensacional! Eu venho analisando, e cheguei à conclusão de que tem muito escritor bom que merece ser reconhecido e ganhar espaço no meio editorial brasileiro. Os livros de escritores famosos são os que mais predominam, e por vezes sinto falta de algo diferente. E quem escreve no Wattpad tem esse diferencial – pelo menos no meu ponto de vista.

- O que é ser um escritor para você?

É dar a cara à tapa. A gente coloca muito da nossa personalidade, anseios e sentimentos no que escreve, e os leitores muitas vezes não percebem. Perdi as contas de quantas vezes estava magoada e despejei na personagem. Por vezes a gente se perde e quando vê já é um só com a nossa criação e meio que fica impossível separar uma coisa da outra. Pra ser escritor você tem que ser um pouco cara de pau e às vezes viver com a cabeça nas nuvens. É difícil explicar, mas bom demais de viver.

- Como foi para você, receber todo esse carinho e retorno no Wattpad?

Foi um choque! Eu nunca pensei que fossem ler, e quando as pessoas começaram a curtir e elogiar eu não sabia como agir. Eu sou perfeccionista- tanto que vou revisar e modificar o layout de Metamorfose, eu era muito amadora quando o postei - e nunca fico satisfeita com o que faço, então quando um leitor vem e agradece ou elogia, eu me sinto mais leve.

- O que fez você escrever Metamorfose?

Problemas pessoais. Eu só queria colocar meus sentimentos, sonhos ou invenções da minha cabeça em algum lugar. Guardar coisas demais adoece, cada um encontra seu alívio em algo. O meu foi Metamorfose. Ao final do livro eu já me sentia feliz, foi um momento de transição pra mim.

-  Qual foi sua inspiração para escrever esse livro?

Minhas amigas, meu ex-noivo e …. eu. Lavínia é o meu “eu” literário, da mesma forma que Mel do meu livro “Café com Shakespeare” foi baseada em mim. Sempre digo que quando a história faz parte de você ela flui.

- O que te fez não desistir do livro?

Os leitores, sem sombra de dúvidas. Era uma questão de honra termina-lo, tanto que quando postei o último capítulo soltei um suspiro aliviado. Tinha valido a pena o esforço.

- Quando a gente de certa forma 'convive' com você, percebe seu jeito engraçado, e quando para pra perceber, nota que é por esse motivo que seus livros são tão doidos. Já percebeu alguma vez, uma marca que é só sua na escrita de Metamorfose e Café com Shakespeare?

Já notei sim (tive que rir outra vez), e algumas pessoas já disseram que as doses de loucura nos meus livros são absurdas. Outra coisa que chama a atenção das pessoas nos meus livros são as expressões que uso – as que crio e as do tempo da idade da pedra que eu reciclo e jogo nos diálogos.

- Já ficou amiga de algum leitor?

Inúmeros. E mantenho contato até hoje.

- Você tem um site com a @worldcoolture, e sabemos que ele fala muito sobre o Wattpad. De onde surgiu a ideia de criá-lo?

Meus alunos e amigos. Cansei de ouvir gente dizendo que eu levava jeito pra coisa , que deveria tentar. Eu sou MUITO tímida, por incrível que pareça e nunca me vi gerenciando um site , muito menos um canal no Youtube. Hoje eu tenho o site graças a Ana (@worldcoolture) que é um suporte maravilhoso e uma amiga – que era minha leitora – imprescindível. E em breve o site vai ter um canal, não sei como vou fazer pra perder a timidez , mas vai ser mais um desafio a ser vencido.

Compartilhe

Isabela Toscano – O que não fazer antes de morrer.

 

- Escrever O que não fazer antes de morrer mudou o que em sua vida?

Me fez conhecer pessoas maravilhosas e também tive mais confiança em continuar a escrever, coisa que não tinha antes. O feedback foi incrível e eu nem fazia ideia que iria ser assim, e isso foi um máximo porque, com OQNFADM, tive ideia para mais outras e encontrei meu gênero de escrita.
- Já chegou aquele momento na sua vida em que você precisou escolher: ou fazer tal coisa, ou escrever?

Já! Meu grande dilema entre séries/filmes e escrever. Uma vez, estava estudando para a faculdade e esqueci que era dia de postagem. Resolvi que seria uma boa parar o estudo e escrever (não repitam isso em casa). Acontece... huaha
- O que você acha do projeto Semana Wattpad?

Eu adorei! É ótimo para conhecermos novas histórias e autores/autoras.

- O que é ser um escritor para você?

É como se dessem uma história apenas para você e sua função fosse contá-la da melhor forma possível para o mundo. Somos contadores de histórias, reais ou não.
- Como foi para você, receber todo esse carinho e retorno no Wattpad?

Eu fiquei - e ainda fico - chocada. Nunca imaginei que seria assim e sou muito grata a todos!

- O que fez você escrever O que não fazer antes de morrer?

O tédio (nada de palavras bonitas, me perdoem, mas é a verdade).

- Qual foi o feitiço que você usou na história para me deixar tão viciada? Sério, eu roubava wifi do vizinho quando você postava capítulo! - @CarolBSilva

AI, MEU DEUS! Não sei, me ajuda! hauha

- Como você entrou no Wattpad? - @analiciam_

Uma amiga - a que fez a pergunta, inclusive hauha - pediu para que eu lesse a história dela e eu amei (tanto a história quanto o aplicativo), então a Ana me ensinou a mexer em tudo. E haja paciência!

- A personalidade da Alice é baseada na sua? - @Kimtrouxaever

Não, mas ela tem algumas coisas minhas. Tipo acreditar em ET................ hauhaua.

- Onde surgiu a ideia de OQNFADM? - @SenhoritaPudim

Nem eu sei. Apenas estava entediada, então abri o word e comecei a escrever. As coisas começaram a surgir e formaram a história.

- Qual personagem dos seus livros você se identifica mais? - @thebenedetti

Júlia, - a japonesa - e Apolo, mas também tenho um pouco de Amélia e Ana.

- Você sempre gostou de escrever ou alguma coisa que te motivou? - @VictoriaFonsecaG

Sempre pensei em histórias, eu vivia no mundo da Lua imaginando cenas e diálogos. Então eu comecei a ler alguns livros do Nicholas Sparks e pensei ''Vou tentar''. Deu no que deu.

- Porque protagonistas só com “A”? - @oppstefany

Não foi combinado, eu juro. Só depois de montar os esqueletos das histórias que me dei conta disso.

- Como surgiu a ideia de escrever seu livro? - @jadebmx

Alguns, como O Que Não Fazer Antes de Morrer e Alice e o Raio foram o tédio e a vontade de escrever qualquer coisa. Geralmente, a ideia vem quando encontro um nome, porque junto dele vem toda uma história.

- Você tem planos de transformar seus livros do Wattpad em físicos? - @LaraVazGalindo

Acho que todos nós que postamos lá temos. É bem difícil, mas se Deus quiser - e ele quer, eu acredito -, vou conseguir publicar.

- Quem é seu personagem preferido de Friends? Qual sua série favorita? E filme?

Quando você vai mandar um Apolo pra mim? (HAHAHAHHAHA, brincs).

Monica Geller, porque ela é a melhor sim - Mondler na veia, o resto na cadeia. How I Met Your Mother. Remember me. Quando eu encontrar um, eu mando, mas vai precisar dividir com todo mundo uhauah

- Quando vamos saber mais sobre o pai e o passado de Caleb? - @as_lokas_das_fanfic

ALERTA SPOILER - ou não:num dos últimos capítulos, haverá um POV do Caleb e lá será citado um pouco sobre seu pai.

Compartilhe

Tânia Picon – Em dose dupla.

- Escrever Em dose dupla mudou o que em sua vida?

Na verdade não mudou nada (risos!). Mas deve ser porque ele é o meu livro dezenove, deve ter sido uma sensação diferente de quando eu fiz o primeiro, só que eu não me lembro (foi em 2007 e eu sou muito esquecida!). Eu me envolvo com os livros quando estou escrevendo, me apaixono pelos personagens, mas acho que sou volúvel porque logo sigo em frente e me apaixono por outros (os personagens do próximo livro). Em geral, termino uma história já com outra na cabeça.

Ah, tem uma coisa que mudou, por causa do Chris Evans, a inspiração do meu mocinho: eu descobri o capitão América e os super-heróis. Até comecei a escrever um livro com uma mocinha com superpoderes.

 

- Já chegou aquele momento na sua vida em que você precisou escolher: ou fazer tal coisa, ou escrever?

Atualmente eu não ando com muito tempo para escrever. Só quando a inspiração vem muito forte e eu preciso escrever é que eu dou um jeito. Não é muito fácil conciliar a rotina de escrever com a minha vida corrida.

Escrever não é a minha profissão, é o meu lazer. O que eu amo fazer. O que me relaxa. Mas eu não forço, quando eu tenho vontade escrevo. E não é uma escolha. Eu não escolhi escrever, às vezes eu nem quero, mas eu preciso. Tem uma frase que se encaixa bem comigo: “sou do tipo que escreve para não enlouquecer.”

 

- O que você acha do projeto Semana Wattpad?

Acho muito legal, um excelente modo de promover a literatura nacional. Vou dizer que antes do ano passado (2015), quando eu descobri o wattpad, eu não gostava muito dos livros nacionais, porque não encontrava o tipo de livro que eu gosto (no estilo Meg Cabot, Sophie Kinsella, Rachel Gibson e agora Carina Rissi!!), e encontrei várias escritoras talentosas no wattpad. Muito livro de excelente qualidade mesmo.  Eu consegui publicar o meu livro por causa do wattpad e sua visibilidade, e espero que outros consigam o mesmo.  Estou até começando uma biblioteca com livros de escritoras que eu conheci no wattpad.

 

- O que é ser um escritor para você?

Isso é uma coisa estranha: eu não me sinto uma escritora. Mesmo gostando de quatorze dos livros que eu escrevi (sem incluir os contos nessa lista), eu acho que eu sou apenas uma pessoa que escreve. Deve ser porque escrever não é a minha profissão. Na verdade, eu sou dentista. Inclusive, já fiz uma personagem dentista-bailarina e uma dentista-cantora, para mostrar que na vida a gente pode fazer mais de uma coisa. E eu sou uma dentista que escreve. Porque podemos, mesmo, ser mais de uma coisa.

 

- Como foi para você, receber todo esse carinho e retorno no Wattpad?

Atualmente posso dizer que adoro o wattpad, mas demorei um monte para que as pessoas me descobrissem. Fiquei uns bons meses com a sensação de estar postando para as paredes, para ninguém, mas continuei mesmo assim, devagar e sempre.

Adoro os meus leitores, os antigos e os novos que chegam a cada dia. Adoro a interação, as trocas e estou aprendendo a lidar com as críticas, para melhorar com elas. Embora no wattpad eu ganhe muito mais mensagens fofas, que eu amo, do que críticas.

Estou com o meu primeiro livro publicado prestes a chegar (ele estava em pré-venda no mês passado) e com mais de nove livros na Amazon (que são diferentes dos que estão no wattpad), e mesmo assim acho que nunca vou sair do wattpad, por causa dessa interação com os leitores.

 

- O que fez você escrever Em dose dupla?

Depois que eu terminei de escrever “As maravilhas de Alice” fiquei pensando em fazer uma história para a irmã dela, a Thaís que é a protagonista de Em dose dupla. Ela terminou a da Alice com 21 anos e com uma história aparentemente bem resolvida, mas eu pensei: “ela só tem 21 anos, posso fazer o que eu quiser com ela.” Daí dei um pulo de seis anos no tempo e a história da Tatá começou a surgir.

Foram várias as inspirações. As minhas filhas gêmeas, já que aqui em casa é tudo em dose dupla. Um documentário sobre gêmeas coreanas que eu vi na Netflix (cito esse documentário na história). E a inspiração para o mocinho veio depois que eu assisti o filme “Qual é o seu número?” (que eu também cito na história). O filme é bobo, mas o Chris Evans tá muito gato nele.

Compartilhe

               Enclausurada em memórias do passado e presa a inseguranças do presente, Alice Santos vive com uma grande ambição de realizar os seus sonhos e com um terrível medo de sofrer mais humilhações públicas. Mas então ele chega, com um nome estrangeiro, sorrisos fáceis e uma idade curiosa, para quebrar a rotina da rapariga de uma maneira que ela nunca tinha imaginado ser possível.

16483078-176-k312717

Vou ser bem sincera. Esse livro sem sombra de duvidas foi o oposto do espera por mim.

Quando comecei a ler, espera por mais um daqueles típicos clichês sobre meninas Nerd, mais no final, acabei mordendo a língua.

Alice e uma estudante insegura. Cheia de medos e incertezas. Sua vida esta uma completa bagunça, tudo graças a sua “querida amiga” Amanda.

Mais as coisas nem sempre foram assim. Alice era uma menina feliz. Tinha amigos, uma família feliz e um status financeiro generoso.

Ate a sétima serie, Alice se considerava feliz. Mas as coisas mudaram. Alice sofreu um acidente, e nele, seu pai morreu. A partir desse ponto, sua vida virou um caus.

A menina começou a sofrer bullying daqueles que considerava seus amigos. Agora, isolada de todos, o que lhe resta e apenas dedicar-se aos estudos, e esperar que um dia esse tormento que tem sido sua vida mude.

A menina, cheia de complexos de inferioridade e isolada, se sente incomodada com a chegada do novo aluno. Não só pelo fato de ele ter um nome estrangeiro e ser mais velho. O que realmente lhe incomoda e o fato do garoto ter a escola inteira a disposição, e ainda sim, preferir ser seu amigo.

Alice fica realmente encucada com o fato de o menino preferir sua amizade a qualquer outra.

Com o passar do tempo, depois de descobrir varias coisas sobre o menino, ela decide que é hora de confiar nele também. Alice se abre com Ryan, e finalmente, encontra um amigo.

Mais a vida não é um mar de rosas, e quando tudo parecer começar se encaixar no devido lugar, Amanda entra em ação.

Esse livro foi sem sombra de duvidas surpreendente. Tive que ler e reler o final dezenas de vezes para entendê-lo e perceber não havia lido errado. O final foi algo totalmente criativo e inesperado, pelo menos por mim.

Com personagens complexos, diferentes. Apesar de tudo que passou, Alice se mostra disposta a mudar e enfrentar seus medos de frente. A mudança da garota, do começo do livro ao final, e grande, e mostra que, independente do tamanho dos outros problemas, existe uma solução.

 

 

Compartilhe

Larissa é uma garota de dezoito anos, que passou por sua cota de tragédias. Suas convicções sobre a vida são simples: Amor é uma mentira. Casamento é falido. E nenhum ser superior ama ninguém aqui em baixo.

Mas depois da mudança que faz com seus avós ela conhece um grupo de pessoas que difere totalmente de tudo que ela acredita. Com seu jeito acolhedor, essas pessoas entram na vida de Larissa com mais facilidade do que ela imagina, inclusive dois garotos totalmente opostos.

Mas o que fazer quando seu coração e sua mente brigam como nunca? E o que fazer quando já faz anos que você deixa seu coração de lado?

Ela precisa decidir se é melhor ouvir ou ignorar, mesmo que ele esteja gritando por algo real.

 

37794900-176-k7648

Um livro lindo, capaz de mostra como uma pessoa pode ser usada para transformar outras pessoas. Esse foi o Que seja meu.

O livro começa com a mudança de Larissa, uma garota totalmente desacreditada no amor. A menina, de apenas dezoito anos, já passou por poucas e boas, e com isso aprendeu apenas uma coisa: amor de contos de fadas é apenas amor de contos de fadas. Inexistente. Ou pelo menos era isso que ela pensava.

Larissa, depois de toda sua dor, se ressentiu com Deus. Descreditou no seu amor pelas pessoas. Fechou olhos, ouvidos e o coração para ele. Ate certo momento, ela se recusava a acreditar nas obras de Deus, por mais que a grande maioria de pessoas a sua volta tentassem, ela negava a si mesma o prazer que acreditar nas coisas D’ele.

Mais tudo isso muda quando ela percebe seus sentimentos. Sentimentos pelos quais ela já era desacreditada. Sentimentos esses que mudaram o rumo da vida de Larissa.

Tudo isso graça aos seus avos que decidiram se mudar e levar a neta para longe de São Paulo. Seus avos decidem se mudar para o "vale kadapul", o lugar que vai mudar a vida da menina.

A cidade pequena, onde todos se conhecem, esconde historias passadas sobre toda uma geração de historias de amor.

Agora, longe do lugar onde cresceu, onde foi feliz e triste, Larissa precisa começar do zero. Precisa de novas amizades e decidir o que fazer em relação ao seu futuro.

De inicio, ela decide conhecer a cidade. E ai que tudo começa.

Entre novas amizades, boas e ruins, Larissa descobre sentimentos novos que nunca havia experimentado antes. Faz boas amigas, descobre amores.

Sua vida toma um rumo imaginado por ela. Mas um rumo bom. Que a faz se sentir melhor, e a leva a reviver o passado. O passado da historia de amor de seus pais.

 

Larissa é uma personagem forte. Por trás do coração fechado, é alguém carente, que apesar de muito amada pelos avos e pela amiga Paloma, se sente só. Ela tem sérios problemas internos com sigo mesmo, pois nunca se deu conta de tudo o que tinha, já que vivia se lamentando pelas perdas do passado.

Na ida para nova cidade, Larissa faz muitas amizades novas. Uma delas, a minha preferida, Manuela.

Manuela, mais conhecida como Manu, e minha amiga dos sonhos. Sempre positiva é a líder nata. Com sua positivada, carisma e muita fé, ela ajuda e muito Larissa. Uma garota extrovertida e alegre, sempre cheia de ideias novas. E sinceramente, notavelmente persistente.

Pedro e sem sombra de duvidas é o bad boy do livro. Cheio de si mesmo, se acha a ultima bolacha do pacote. Cheio de “ideias novas”, encanta Larissa. E não é só ela. Mais, apesar de ser um idiota, em minha opinião, ele é legal. Um personagem com personalidade e muita historia pra contar. Não é atoa que o livro dois e sobre ele. *OLHA O SPOILER*.

Matheus, dono do cheiro de hortelã e mais alguma coisa, e com certeza meu amor dos sonhos. Às vezes, me sinto como a Larissa. Não sou fã dessas historias de amor e felizes para sempre. Não que eu não acredite. Diferente dela, acredito e desejo tudo de bom para quem o acha, mais não sinto que ele seja para mim. Mais esse Matheus... Faz-me querer mudar de ideia. Para ter um Namorado/marido desse?

Fofo, simpático, romântico, compreensível e, acima de tudo, adorador de Deus... Não que ele seja perfeito. Não é. Na verdade, ninguém é. Mais talvez, só talvez, ele chegue perto de ser.

Um livro completamente inspirador, cheios de lindas historias.

 

Compartilhe

Ana Elise é uma garota de quase dezessete anos - como ela diz - que tem sua vida virada de cabeça para baixo. De uma para outra ela se vê obrigada a deixar Curitiba para morar em Guaratuba, uma cidade no litoral do Paraná, com seu pai biológico Raul e sua família a quem ela não sente nada além de desprezo.

 O que ela não sabe é que essa cidade lhe reserva muitas coisas.

Amizades novas, uma irmã caçula apaixonante, uma viagem no passado de seus pais e o amor. Ah o amor! Esse vai lhe pegar uma bela peça, ou melhor, duas belas peças, Davi e Vinícius são seus nomes.

 Elise vai experimentar o que é o amor, a dor da escolha e o alívio do perdão. Ela vai descobrir que às vezes de ponta cabeça é o lado certo.

 

FBZ0igM

Leticia Anello conta em Blue, a história de Ana Elise, uma garota de quase dezessete anos, cabelos azuis e personalidade forte que acaba de perder os pais, precisando mudar-se de Curitiba para a cidade de seu pai biológico, a quem ela chama carinhosamente de ‘doador de sêmen’.

Ao ser obrigada a mudar para a casa de Raul, a quem Lise não pronuncia o nome há um bom tempo, a garota é obrigada a conviver não só com o próprio, mas também com os filhos de sua atual esposa. Arthur, um rapaz simpático e muito amável (deixando bem claro que ele era o meu shipper desde o começo), Amanda, uma garotinha fofa que de cara conquista Lise, e Ana Bárbara (ou Babi, como ela prefere ser chamada), a garota que promete fazer da vida da nossa protagonista um inferno.

Mas, um certo dia, Lise resolve fugir de casa, e acaba conhecendo Vinicius, o garoto de olhos chocolate que conquista sua confiança logo de inicio e, para ajudar, lhe dá um apelido que prega como chiclete: Blue. Referência aos lindos cabelos azuis da moça.

Se fosse possível estar interessada em duas pessoas ao mesmo tempo, esse seria o caso de Blue, que divide seu coração entre Davi (o ex namorado de Babi) e Vinicius (o garoto pobre a quem Raul condena). Façam suas apostas, pois agora Lise vai ter que decidir com quem ficar. Lembrando: nem sempre o certo é o melhor a se fazer...

Blue foi um livro que me conquistou a partir da sinopse. Uma história bacana, com a doze certa de maluquice e com uma protagonista que me inspirou a querer pintar os cabelos de azul (minha meta para 2017, se Deus quiser). Eu simplesmente adorei o livro, parabéns Leh. Ah, antes de acabar, quero deixar claro que você é tão fofa, tão queria, que sinto vontade de botar você dentro de uma bolinha de cristal e guardar dentro do meu armário hahaha.

Compartilhe

"Uma mulher bonita não é aquela de quem se elogiam as pernas ou os braços, mas aquela cuja inteira aparência é de tal beleza que não deixa possibilidades para admirar as partes isoladas".

Uma mulher sem alto estima, um patrão solitário. Dois malucos que se completam mas fingem não perceber. Ele é louco por ela,  ela evita ser louca por ele. Mas até quando conseguirá?

Até onde a beleza tem sua importância? Lavinia vê na oportunidade dada por Aidan de se transformar, um escape para a tristeza que sente.

Aidan vê na proposta que fez a Lavinia a oportunidade de ser feliz.

A beleza está realmente nos olhos de quem vê?

42438945-176-k170904

Metamorfose, de Hyana (e só Hyana mesmo), traz a história de Lavínia Stuart, uma menina-mulher de vinte e cinco anos que nunca nem sequer foi beijada.

Em uma família onde as irmãs são lideres de torcida e os irmãos destruídos de corações, Lavínia nunca foi a mais bela. Longe disse. Sempre foi pivô de comentários dos amigos de seus irmãos. Hoje, ela tem um bom emprego, e é melhor amiga de seu chefe, Aidan Tyler, o motivo de suspiros femininos pela empresa toda.

Acontece que um dia, cansada de ser feia, a moça lamenta da vida para Tyler, que bola um plano maluco, com o intuito de deixar Lavínia mais bonita por fora e segura de si. E é ai onde a confusão começa a acontecer. Com alguns capítulos na visão de Aidan, conseguimos entender o porque de ele querer ajuda-la, e também descobrimos que para ele, a beleza de Lavínia está por dentro, mas nada melhor que dar up na mulher por fora.

Um certo dia, Lavínia acaba comentando com seu chefe que tem vontade de sair de Chicago e visitar Vegas; Aidan, que além de estar caidinho pela moça, não é bobo nem nada... sugere que os dois passem o fim de semana na cidade do pecado. Muita confusão vai rolar e, como diz minha amiga Maysa, ALERTA DE SPLOIR: os dois acabam casados!

Metamorfose é o romance ideal para quem procura algo divertido, leve e espontâneo. E assim como em Café com Shakespeare, Hyana não podia deixar de manifestar um lado completamente maluco em sua personagem principal. E se o livro está sendo resenhado aqui na Tirania, é claro que eu super recomendo!

 

Compartilhe

Acreditem, rever o cara que te deixou na fossa pode ser pior do que cair 1000 metros. Mentira! Na verdade, reencontrar quem já amou é a mesma coisa que se afogar no mar, onde o cara é a imensidão do oceano e eu sou apenas... Clarisse Bellini, ou seja, uma menina que não sabe nadar! E se você nunca se apaixonou, então parabéns, porque eu prefiro tropeçar e cair num buraco.

Olhar para o passado e ver o quão ruim foi não estava nas minhas expectativas para o agora. Depois de poucos anos, estou preparada psicologicamente apenas para cursar medicina, nada mais! Porém, tudo é um desafio, e não sabemos quando irá aparecer um obstáculo, e adivinhem? Miguel voltou da pior maneira possível.

Dessa vez, não tenho como fugir. E o pior, eu não consigo superar!

other picture

 

Perfeitamente imperfeita, de Ana Licia, conta a história de Clarisse Bellini, uma garota que sofreu pelas palavras e ações de um velho amor platônico.

Clare não é mais aquela garotinha em quem Miguel pisou; agora ela é dona de si, bonita, inteligente (não que já não fosse antes...) e está pronta para cursar medicina, tudo que sempre quis.  Mas, como sempre acontece quando estamos felizes, e em paz, Miguel brota na vida da jovem do nada e, novamente, embola tudo na vida dela. Ela tem um passado com Miguel, um passado ao qual não gosta de lembrar, pois saiu muito ferida de tudo que aconteceu. E quando aquele rapaz apareceu novamente em sua vida, foi como se o coleguinha do jardim de infância colocasse o dedo no joelho ralado e cheio de sangue de Clare.

Agora o rapaz parece estar em todos os lugares, como se não bastasse ser filho do noivo de sua mãe, também é voluntário no mesmo setor oncológico que ela. Não que ela ache isso ruim, pois Clarisse até acha bonito da parte dele, mas é um pouco importuno, digamos assim. E para piorar, a moça começa a gostar de ser importunada por Miguel.

Como em toda história, não poderia faltar a amiga louca que sempre dá péssimos concelhos, mas sempre quer apenas e nada mais que o bem, Luana vem completando essa história.

Perfeitamente imperfeita é o romance indicado para quem gosta de livros que trazem à tona um velho amor do passado. Nele, Ana Licia, Clarisse, Miguel, Lívia, Luana e muito outros personagens pretendem prender você até a ultima linha. E sem mais nada para falar, lhes digo: leiam.

Compartilhe

Quando Liliana Rodríguez foi machucada pelo amor na sétima série, ela parou de acreditar em qualquer tipo de romance. Até que um dia, sem querer, ela quebra a mão do cupido responsável por fazê-la se apaixonar pelo seu melhor amigo e, sentindo-se muito culpada, aceita ser sua substituta por um mês. A partir de então a vida de Liliana passa a girar ao redor do sentimento que por tantos anos ela desprezou.

Eu, Cupido (1)

O primeiro livro da trilogia Eu, Cupido de Júlia B. Tourinho, publicado na plataforma Wattpad, inteiramente de graça, conta a mágica história de Liliana e Paco, uma garota cética para o amor e tudo que envolve ele, e um jovem cupido estagiário.

Paco tem como missão, acertar um “tiro de Debellate” (pois as flechas são muito ultrapassadas para os cupidos do século XXI, okay?) em Lili, que se fechou para o amor desde os trágicos eventos que destroçaram seu coração na sétima série. A moça, chamada carinhosamente de Coração de Pedra pelos cupidos, acaba quebrando a mão do garoto, e é então que ele bola um plano maluco para que possa salvar a pele dos dois: Lili agora é uma cupido substituta, se assim posso chamar.

O plano era fazer Liliana se apaixonar por Augusto (Gu, para ela), seu amigo e o rapaz com que ela mantinha uma espécie de amizade colorida, no sentido mais saldável da expressão. O problema é: Lili não queria se apaixonar, muito menos por Augusto.

– Eu não deveria estar contando isso a você, mas acho que agora tanto faz – me disse com um sorriso desanimado – Sabe, Liliana, há algum tempo você tem sido um grande problema para o meu... povo.

– Eu tenho sido um problema para os... garotos loiros?

Ele nem se esforçou para sorrir.

– Para os cupidos.

Como eu ia dizendo... o plano deles consiste basicamente me juntar casais impossíveis para que Eros, o chefe de Paco, sinta-se satisfeito com trabalho e não obrigue o garoto à atirar em Liliana. Mas, enquanto tudo isso acontece, muita confusão de sentimentos vai rolar.

Eu, Cupido é um livro do qual eu particularmente gostei muito. Um dos meus preferidos do Wattpad e da vida! O romance é fofo e super indicado para quem gosta de leituras leves, sem aquelas cenas a lá Cinquenta Tons de Cinza, mas igualmente apaixonante (e isso é uma ótima comparação, pois eu AMO Cinquenta Tons, beleza, mundo?!). 

Bem, esse é um livro que eu com certeza recomendo, não é a toa que ele está na Semana Wattpad, e, antes de terminar essa resenha, eu preciso dizer: Júlia, você cumpriu seu trabalho com maestria, tanto é que eu crushei um garoto lá da escola e cheguei em casa gritando “mãe, Paco estava lá na escola! Ele é tão lindo...”. Parabéns, saiba que você tem uma fã aqui.

Compartilhe