≡  

Posts do autor: Lady Scandalous

20
mar
2017

Quantas vezes nos enganamos com relacionamentos? É uma pergunta que com certeza pode mexer com nossas cabeças. Sorrimos, enfrentamos problemas, choramos e até pensamos que é o fim, não o fim do namoro, noivado ou casamento, mas o fim de nossas vidas. Somos impulsionados a acreditar que apenas um amor incrível mudará significativamente nosso destino. A verdade é que preferimos jogar no colo do outro a responsabilidade de nos fazer feliz quando deveríamos entender que para encontrar a real felicidade é preciso antes de tudo, se ver feliz sozinho.

Estar com alguém que amamos é, sem dúvida, uma sensação mágica que jamais poderá ser explicada. Mas que tal começar a se olhar no espelho e repetir para si mesmo: “eu sou o cara! ”. Não importa se você é homem ou mulher, o que quero mesmo dizer é que você é capaz de conseguir tudo que almeja, que você pode e deve se sentir incrível antes de priorizar outra pessoa. Porque abaixo do amor de Deus, o mais importante dos amores, é o próprio.

Qual o seu sonho? Amor? Dinheiro? Entenda que você faz acontecer. Se desejar dinheiro, lute e trabalhe duro e a vida te recompensará. Se desejar amor, não corra atrás, ele surge quando não estamos procurando. Seja você a sorte que busca em todas as coisas. Tenha um grande sonho e um foco maior ainda.

Categorias: Conselhos amorosos

Compartilhe

Ele (a) sempre te procura quando está carente? Parece que quando o “x” da sua questão está sozinho (a) resolve do nada te ligar, mandar mensagens de boa noite ou anuncia que está com saudades? Se isso têm acontecido com você, sinto muito em dar a má noticia, mas você é oficialmente o estepe de alguém.

Você já deve ter presenciado situações assim ou até mesmo vivido outras vezes, porque é realmente algo completamente normal, parece até um pouco de frieza falar assim, mas ultimamente encontramos cada vez mais pessoas capazes de transformar relações que poderiam ser incrivelmente boas em algo banal ou passatempo de carências.

A grande “não novidade” da história é que você está ali, a disposição para tudo, sempre com um ombrinho amigo a oferecer. E minha função aqui é dizer que enquanto isso acontecer, o seu X nunca irá perceber que você está pronto (a) para dar um passo maior. Pois quem determina o nível da relação que você mantém com qualquer pessoa é você mesmo.

O que podemos pôr em pauta aqui é que enquanto o “estepe” não é confiante a ponto de fazer o X (pessoa que te faz de estepe) assumir um relacionamento sério ou largar qualquer outro esquema, ele (a) aproveita bem mais que você, que fica martelando na cabeça o que fazer para resolver a situação incomoda.

Então a grande mensagem moral desse artigo é: NÃO SEJA TROUXA, NÃO ACEITE MIGALHAS. Lembre-se, querido leitor, amor próprio move o seu mundo, valorize-se acima de tudo, até porque você é muito para receber tão pouco.

PS.: Perdoem os excessos.

Beijocas <3

Compartilhe

Olá meus pupilos!

Hoje eu venho tratar de um tema um pouco polêmico, se assim podemos dizer, e que ainda é tabu para muitas pessoas. Mas à pedidos, resolvi que estava na hora de falar haha. Veja à baixo sete coisas importantes para se saber sobre a primeira vez:

  • Você nunca estará completamente preparado (a): isso pode ser quase uma verdade universal. Por mais que você leia ou converse com pessoas mais experientes, a grande questão é que nunca haverá um momento no qual você se sentirá complemente confiante para fazer sexo, afinal tudo que é novo, meio que assusta.

 

  • Não fantasie demais: sabe todas aquelas coisas fofas ou não que vemos nos filmes de romance? (Não estou dizendo que vai ser ruim, isso depende de outros fatores que serão citados logo a seguir). Quase nunca é como você imagina que seja, porque nem sempre pode-se reservar hora ou lugar e até mesmo contexto para que isso aconteça.

 

  • Não se entregue a qualquer pessoa, porém não espere pelo príncipe da Branca de Neve ou pela própria Branca de Neve (haha): a grande maioria de nós passa parte de nossa adolescência ouvindo coisas do tipo “não se entregue para qualquer um” ou “fulano não merece que dê sua virgindade a ele (a) ”. Não estou aqui para dizer que essas pessoas que lhes falaram isso estão certas ou erradas, mas sim para esclarecer que nem sempre tudo que nos é dito serve para nós, e que sexo traz inúmeras responsabilidades e, com elas, decidir a pessoa que você considera como certa.

 

  • Não existe idade perfeita: podem até existir pesquisas que comprovem que tal idade é a certa para transar, mas o fator crucial e determinante nesse caso são os emocionais e biológicos. Ou seja, quando seu corpo estiver realmente preparado e sua cabeça madura o suficiente para lidar com as consequências desse ato.

 

  • Vai doer? Nós garotas costumamos ouvir com certa frequência relatos de mulheres sobre a perda dolorida de suas virgindades. Mas a dor não é algo obrigatório de se acontecer, assim como nem todas vão sangrar. A dor está relacionada ao seu nível de relaxamento no momento do ato sexual e o sangramento ao rompimento do seu tipo de hímen.

 

  • Escolha alguém que você tenha intimidade: convenhamos, a melhor coisa que existe é ter alguém com o quem possamos nos abrir e falar tudo aquilo que pensamos ou sentimos e, nesse momento, é de fundamental importância estar com alguém que passe-nos segurança (a dor também pode estar relacionada a isso).

 

  • Ir ao ginecologista é fundamental: além de cuidar da saúde do seu corpo, o médico pode e deve esclarecer possíveis dúvidas que você possa vir a ter.

 

Enfim, meninos e meninas, este artigo não tem por pretensão incentivar ninguém a fazer sexo, mas sim esclarecer alguns mitos e verdades sobre o ato sexual. Claro que não pude abranger todas as coisas relacionadas ao sexo, então se vocês ainda tiverem dúvidas das quais eu possa esclarecer, mandem e-mails ou comentem para que eu faça novos artigos.

 

Email: ladyscandalous@atiraniainvencivel.com.br

Beijocas <3

 

Categorias: Conselhos amorosos Tags:

Compartilhe

Olá meus pupilos, depois de muito pensar sobre o que escrever aqui, neste nosso humilde diário virtual, resolvi listar, baseado em fatos reais (isso dá credibilidade haha), os momentos em que eu, você e até a vizinha bonita do 2º andar, fomos trouxas.

  • Quando você manda mensagem para o crush depois de séculos sem se falar e, para completar o momento trouxiane, ele nem visualiza: sério, que nunca fez isso? A gente vê que ele está pouco se importando se vamos ou não mandar aquela mensagem de “bom dia” (que quer dizer bem mais do que estamos sendo educadas (os) haha), mas teimamos e levamos um belíssimo vácuo.

 

  • Quando você acredita demais naquela amiguinha falsiane: OMG!! Tem gente que ama ser enganado (a) né? Nós algumas vezes somos ludibriados e nem percebemos isso, até que aquele serumaninho “amigo” minta pela 45º vez.

 

  • Quando perdoamos demais o mesmo erro: todo mundo tem o direito de se arrepender, mas com o arrependimento vem a mudança certo? Errado, você descobre isso depois de ter perdoado o mesmo erro milhares de vezes.

 

  • Quando achamos que aquele crush é diferente e pensamos: agora vai, né possível e não vai. Acabamos sendo enganados novamente e você finalmente percebe que nessa novela da vida real, você tem o papel de trouxa.

 

Ao final dessa listagem de trouximos, a mensagem que eu trago para vocês é: por mais difícil que pareça acreditar, todos já fomos trouxas alguma vez na vida e não devemos nos cobrar demais e ou ficar nos autojulgando por isso. Lembre-se: você é o responsável pela mudança.

P.S.: pessoal, não esqueçam que vocês podem me mandar e-mails com dúvidas sobre qualquer assunto no campo amoroso (não sou nenhum expert, mas farei o possível para ajudar) ou sugestão do tema que vocês querem que seja abordado nessa coluna.

Compartilhe

Olá amores.

Esse artigo é dedicado a todas aquelas pessoas que tem dificuldades com relações interpessoais de modo geral e principalmente amorosas. Então vamos lá.

Ultimamente tenho observado o modo como os relacionamentos têm se dado; o que me fez recordar a infância, quando víamos todos aqueles filmes de Hollywood que tratavam do amor e outras drogas (momento piadinha haha), e como a maioria deles fazia parecer fácil encontrar nossa cara metade ou solucionar problemas de cunho amoroso com beijos quentes e abraços doces, percebi então que em meio a essa cultura cinemática, se é que assim podemos chamar, acabamos nos iludindo.

Quando crescemos viramos adolescentes confusos ou adultos completamente perdidos. Então, percebi que a verdadeira questão que prevalece nos relacionamentos não é a química que se espera ter com alguém e sim se você é atraente ou repelente de relacionamentos, mas não atraente no sentido físico, porque se fosse assim muitas modelos e atrizes belíssimas não estariam solteiras agora ou o Brad Pitt não teria largado a Angelina Jolie (convenhamos, aquela mulher é uma deusa). A atração abordada nesse artigo é intelectual e que se relaciona diretamente com a vibração que você acaba emanando para as pessoas.

Bom humor, simpatia e facilidade na resolução de problemas são pontos chaves para ser imã de relações, pessoas com boa vibração são como um sol em qualquer ambiente. Então se você espera conquistar aquele (a) gato (a), garantir aquele emprego ou conquistar novas amizades, esse pode ser o segredo do sucesso, e a dica de ouro para finalizar esse artigo é: encare tudo sorrindo haha, nem sempre é fácil, mas ajuda e muito.

E aí, você é imã ou repelente?

Compartilhe

Há alguns dias vivo imersa em uma reflexão a cerca dos relacionamentos, a busca implacável pela pessoa certa. Fico me perguntando quando criamos essa ideia de que para sermos felizes no amor precisamos achar o par perfeito e que nossa vida precisa ser digna de um conto de fadas. Quem em sã consciência plantaria essa sementinha do mal (e é realmente do mal por nos fazer acreditar em uma bobagem dessas) em nossas cabeças?

Observando inúmeros casais perfeitamente imperfeitos aprendi que para ser feliz no amor é necessário muito menos do que aquilo que estamos acostumados a ver em filmes românticos, que a realidade é diferente sim, mas de um jeito bom e que ninguém nasce para suprir as expectativas criadas pelo outro. Para ter um relacionamento feliz é necessário acima de tudo ser feliz consigo mesmo.

A vida não é e nunca será como em um comercial de margarina, até porque aquele tipo de propaganda tem o mero intuito de vender um produto. E não podemos vender nossos corações ou comprar a felicidade. Ser feliz e completo é algo que precisa vir de dentro de cada um nós e que antes de pensar que o outro tem por obrigação nos fazer felizes, temos que entender que nós mesmos somos responsáveis por nossa felicidade e o jeito que vamos levar nossos relacionamentos.

E o que realmente quero dizer com tudo isso é: somos todos imperfeitos na busca daqueles que aceitem nossas imperfeições. Afinal ninguém é verdadeiramente perfeito. Então parem de procurar a pessoa certa, porque ela não existe. E se o “errado” te fizer feliz. Aceite esse erro.

Categorias: Conselhos amorosos

Compartilhe

“O curso do amor verdadeiro nunca flui suavemente” já dizia Shakespeare, querem saber? Ele está completamente certo. Vejo as pessoas se submeterem a falsos amores todos os dias, simplesmente por terem medo de ficar sozinhas e acabam não só interpretando de forma errada essa frase como perdendo tempo com coisas que julgam serem amores verdadeiros.

Aprendi ao longo da vida que nunca vamos saber de cara quem é nosso verdadeiro amor, mas sempre vamos saber quem não é e corremos grandes riscos de nos prendermos a alguém que não merece aquilo que temos a oferecer e fazemos isso por medo. Medo da solidão. Óbvio que todos querem alguém para dividir a vida, mas o que prego nesse post é, você não precisa de qualquer pessoa.

É necessário jogar fora todos aqueles pensamentos de que em algum momento você ficará sozinho (a), não enquanto tiver a si mesmo e ter a noção de que você se basta, a real felicidade não está em quem te completa, mas sim em que te transborda. Somos como copos, você escolhe se deve ficar completamente vazio ou meio cheio. Pare de correr atrás do amor, corra atrás da felicidade e o amor te encontrará.

Categorias: Conselhos amorosos

Compartilhe

Olá meus pupilos, estou de volta!!!

Esses dias eu estava me perguntando sobre o que trazer de novidades para vocês leitores do meu amado blog, e o que vós trago hoje não é tão novidade assim. Mas que muita gente tem usado, os apps de relacionamento, especificamente o Tinder (eu uso haha e vou compartilhar minhas histórias fracassadas com vocês de como me ferrei três vezes, que estarão no meu livro que será postado em breve no Wattpad, que óbvio que eu avisarei a vocês haha). Bem, para quem não conhece o tinder sugiro que pesquise antes de ler esse artigo, mas ele consiste basicamente em dar likes em pessoas que você se sinta atraído(a), na esperança de que aquilo se transforme em um match. Em outras palavras, o tinder é como uma grande prateleira e nós somos os produtos querendo ser vendidos para alguém que nos interesse. Parece um pouco de exagero né, mas essa que é a grande verdade.

Este artigo não tem pretensão de desmoralizar o aplicativo, até porque eu uso há algum tempo e mesmo não tendo muita sorte com as pessoas que conheci, adoro o aplicativo e sim, eu tenho esperanças de conhecer um cara legal lá, afinal se criamos um perfil é na tentativa de desencalhar haha (brincadeira). Conheci muitas histórias legais de pessoas que conheceram seus parceiros no aplicativo e até casaram-se com eles. Então talvez a questão seja sorte amorosa mesmo.  O importante é ver que tipo de você acaba atraindo com o seu perfil e estou falando de fotos, porque 9 em cada 10 pessoas não leem a biografia que você teve tanto trabalho de escrever. Mas se tiver de ser lá que você vá encontrar o amor da sua vida, que eu não duvido haha, com certeza a pessoa vai querer saber mais sobre sue jeito, sua personalidade e tal.

E para finalizar este artigo dou-lhes algumas dicas: Se quer algo mais que sexo causal, não ponha em seu perfil fotos provocantes e mesmo que talvez pouquíssima gente leia, escreve uma biografia legal e que te resuma bem. E muito cuidado com quem você leva para o whatsapp. Para encontros prefira sempre locais públicos e deixe alguém sabendo onde você está, afinal é o primeiro encontro e não sabemos com quem está lindando.

Depois dessas recomendações chatinhas eu digo: Usem e abusem do app com responsabilidade e sim , eu recomendo. E se me encontrarem por lá pode ser que role um match haha

Beijocas <3

Compartilhe

02
jul
2016

Eu rolava de um lado para outro da cama, a noite não estava quente, tampouco fria, não era a temperatura que me incomodava dessa vez, nem a maciez do meu cobertor favorito era capaz de me ninar, a escuridão do meu quarto me causava pequenos arrepios por todo o corpo. E eu sabia que a lembrança dele estava cada vez mais viva em minha mente.

Por mais que eu quisesse esquecer aqueles olhos castanhos ou aquele sorriso com covinhas, meu cérebro fazia questão de lembrar cada detalhe e aquela vozinha chata que antes estava adormecida voltava a gritar suplicando um único beijo dele, eu queria sufocar aquilo tudo antes que aquilo me sufocasse.

Já passavam de 1:30 h da manhã e tudo que eu queria era correr para os braços dele, mas ao invés de dar asas a esses sentimentos, eu fiz uma escolha, talvez a escolha mais difícil em meses, resolvi deixa-lo ir porque eu realmente não tinha chances de tentar mudar nada. Mesmo que eu pensasse em fraquejar, eu jamais poderia. No final eu sabia onde isso iria acabar, meu orgulho sempre fora bem maior que qualquer sentimento, mas agora era diferente, eu seguia o passos que ele havia me mandado trilhar.

E ao chegar a essas conclusões, virei-me para o outro lado da cama e cai em sono profundo, eu poderia sentir aquilo outras mil vezes, mas estava decidida a superar e seguir em frente.

Categorias: Contos

Compartilhe

Esse artigo é dedicado exclusivamente para vocês meninas/mulheres leitoras desse blog.

Com certeza vocês cresceram ouvindo histórias sobre os machos alfa do reino animal que inclusive engloba os homens e que a maioria das mulheres adoram. E o mais curioso é, também há mulheres alfas e para aquelas que ainda não se deram conta, vou listar aqui as principais características de uma fêmea alfa. Aquelas que são decididas, felizes e que não precisam de outras pessoas para isso. Mas enfim, vamos lá:

  • Sorriem: Mas não é qualquer sorriso, elas sabem o momento certo de sorrir de um modo único e confiante. Com elegância.

 

  • A fala também é um ponto forte da personalidade desse tipo de mulher: Sem alterar o tom de voz e sempre com clareza, elas se fazem compreender facilmente.

 

  • Mantêm a cabeça sempre erguida: Afinal alguém de cabeça baixa passa uma imagem de total insegurança.

 

  • Não expõem sua vida pessoal ou problemas, não costumam reclamar e são resguardadas.

 

  • Se mostram calmas e procuram controlar situações complicadas.

 

  • Utiliza a postura e contato visual ao seu favor: Ela não tem medo de usar o ambiente a sua volta e deixar claro quem “manda”. Seu olhar demonstra confiança e determinação, afinal elas sabem que um olhar diz tudo, não é mesmo?!

 

Bem, caríssimas leitoras, espero que tenham gostado do artigo. E aí, você é uma mulher alfa?

Compartilhe