≡  

Posts de: 1 de fevereiro de 2017

Sempre achei que nada atrapalharia os romances perfeitos, aqueles que a gente vê nos filmes e chora junto aos protagonistas. Eu vi tudo isso na minha infância e não imaginava que o verbo crescer traria consigo tantas responsabilidades, lutas e barras pesadas que necessitariam de toda minha força para segurá-las. Eu não imaginava que assim como as mocinhas dos filmes, eu teria meu coração roubado por alguém e que ele palpitaria tão forte em sua presença. Que minha vez de conhecer o amor chegaria. E eu nem o vi bater à porta e ele entrou. E aí me dei conta do quão forte eu deveria ser, porque o amor muitas vezes pode ser amigo da distância, a distância física, aquela que separa nossos corpos. Mas todas as noites em que olho para o céu estrelado, lembro-me que aquele céu que me envolve é o mesmo que cai sobre ele. Que contamos as mesmas estrelas. E quando finalmente podemos nos abraçar em meus sonhos, posso sentir seu cheiro inebriante. Talvez um dia a distância resolva nos deixar e esses quilômetros que nos rodeiam passem a não mais existir. Mas até lá, continuarei tendo a certeza de que nem os rios, mares ou qualquer outra coisa, é capaz de conter nosso amor. E que ele vai continuar sendo o acaso mais incrível da minha vida...

Compartilhe

Olá amores.

Esse artigo é dedicado a todas aquelas pessoas que tem dificuldades com relações interpessoais de modo geral e principalmente amorosas. Então vamos lá.

Ultimamente tenho observado o modo como os relacionamentos têm se dado; o que me fez recordar a infância, quando víamos todos aqueles filmes de Hollywood que tratavam do amor e outras drogas (momento piadinha haha), e como a maioria deles fazia parecer fácil encontrar nossa cara metade ou solucionar problemas de cunho amoroso com beijos quentes e abraços doces, percebi então que em meio a essa cultura cinemática, se é que assim podemos chamar, acabamos nos iludindo.

Quando crescemos viramos adolescentes confusos ou adultos completamente perdidos. Então, percebi que a verdadeira questão que prevalece nos relacionamentos não é a química que se espera ter com alguém e sim se você é atraente ou repelente de relacionamentos, mas não atraente no sentido físico, porque se fosse assim muitas modelos e atrizes belíssimas não estariam solteiras agora ou o Brad Pitt não teria largado a Angelina Jolie (convenhamos, aquela mulher é uma deusa). A atração abordada nesse artigo é intelectual e que se relaciona diretamente com a vibração que você acaba emanando para as pessoas.

Bom humor, simpatia e facilidade na resolução de problemas são pontos chaves para ser imã de relações, pessoas com boa vibração são como um sol em qualquer ambiente. Então se você espera conquistar aquele (a) gato (a), garantir aquele emprego ou conquistar novas amizades, esse pode ser o segredo do sucesso, e a dica de ouro para finalizar esse artigo é: encare tudo sorrindo haha, nem sempre é fácil, mas ajuda e muito.

E aí, você é imã ou repelente?

Compartilhe

Hey pessoal, eu estou aqui para falar que, depois de muito tempo, nós estamos oficialmente voltando para a Tirania. Eu e as garotas estávamos passando por um momento bem bad, mas agora estamos de volta. E vai ter post novo todo dia.

As colunas de DIY e decoração estarão temporariamente paradas, pois foram coisas que nós não nos encontramos escrevendo; são coisas que não nos divertiram tanto quanto esperávamos e se nós não nos divertimos escrevendo, o artigo fica chato, batido. Nada melhor que fazer as coisas com amor, não é mesmo?

Estamos de volta e espero que curtam nosso conteúdo.

Categorias: Sem categoria

Compartilhe

As férias estão quase acabando, eu sei, mas, nada melhor nessa época do que consumir muitas séries. E isso foi uma das coisas que eu mais fiz no mês passado. Certo dia, navegando pela Netflix, me deparei com uma série chamadas Witches of East End e ela me chamou muita atenção porque se trata de bruxas, fala sério, quem não ama o universo das bruxas?!

000-2-Witches-Of-East-End-Season-1-2013-640x320

A produção baseada do best-seller de Melissa De La Cruz narra a história de quatro bruxas que foram amaldiçoadas antes de fugir de sua terra natal. Joanna Beauchamp ganhou imortalidade e “gravidez eterna”, se assim podemos nomear. Já suas filhas, Ingrid e Freya só conseguem viver até certa idade da vida adulta, e, depois de sua morte, começam seu novo ciclo no ventre de Joana. Wendy consegue se transformar em uma gata, mas como tal, só tem sete vidas. A trama toda se passa na cidade de East End e, elas passam a primeira temporada inteira tentando se livrar de um metamorfo que sempre assume a forma de Joana e comete atrocidade por aí. Cancelada, a série atualmente conta com duas temporadas e têm seu final em aberto.

Super vale a pena assistir essa série, é a primeira sobre bruxas que eu vejo e, confesso, fiquei totalmente viciada. Estou torcendo com todas as minhas forças para que a série volte a ser gravada, porque, sério, é muito boa.

 

Compartilhe