Alguns dias você vai acordar confuso e pensar: quem é essa garota?

E durante algumas madrugadas vou dominar seus pensamentos, você vai lembrar do meu sorriso bobo ao te ver e das bobagens que conversamos até tarde, vai me odiar por me querer por perto, porque sabe que vou deixar sua vida de ponta cabeça e mesmo assim vai me desejar loucamente.

Vai olhar outras garotas e perceber que elas são só as outras, vai procurar meus traços em cada uma delas e vai se enfurecer um pouco por não encontrar nada. Quando aquelas músicas que ouvíamos juntos tocarem no rádio do seu carro, vou preencher mais uma vez seus pensamentos. E vai correr os dedos pela tela do seu celular a procura das nossas fotos e rolaram lágrimas do seu rosto ao perceber o quanto estávamos felizes. E a culpa vai te consumir por dentro, mas não quero que se sinta assim. Sabíamos que em algum momento a vida nos separaria, no final talvez a culpa nem seja sua. Eramos jovens em busca daquilo que chamávamos de verdadeira felicidade, nos agarrávamos a cada pequeno fio de esperança e mesmo assim não tínhamos medo de nada. O mundo era todo nosso, feito para nós.

Mas entre raios e trovões, nos perdemos. Não sobrevivemos aquela tempestade e depois de tudo, o sol nasceu uma última vez, para me permitir encarar o seu rosto, até cair a última lágrima.